Archive for the Política Category

POLÍTICA – 2010

Posted in Política with tags , , , , , on 21/05/2009 by ilson


Este vídeo tem um caráter duplo, reafirma conceitos, em sua grande parte, e traz dúvidas interessantes sobre o futuro próximo.
Ele nos mostra que as relações entre política e imprensa saõ tão próximas que as vezes até parecem trocar-se os papéis entre elas, nos mostra que o que nos vendem todo dia não passa de uma utopia e ,finalmente, nos mostra que não os candidatos não são eleitos de maneira totalmente imparcial pela sociedade, na verdade, o que ocorre é uma reprodução de imagens que nos são vendidas como certas nas urnas.
Ver esse cenário em Minas e lembrar que o seu governador disputa acirradamente com o governador paulista pela ponta do partido tucano, nos mostra que alguma coisa do velho “café com leite” ainda sobrevive, já passados cem anos de sua criação por Campos Salles.É incrível como os historiadores se remetem aquele período histórico como República velha, fazendo-nos crer que aquele modelo já se encontra totalmente obsoleto.Eis a prova viva que não.
E,ainda mais, agora em vez de olhar para trás, olhando para frente, avista-se próximo 2010, eleições presidenciais, certos conceitos parecem cristalizar-se conforme esta data marcante se aproxima.Um deles é de que a pressão para que assuma um governo dito liberal seja grande, a outra é de Aécio e Serra não acertarão seus ponteiros e irão formar chapas diferentes, rachando a unidade da direita pelo menos no primeiro turno.A grande questão é a seguinte: como se apresentará a esquerda para deter esse contra-ataque de grandes proporções da nossa direita conservadora?

Filmes que valem II

Posted in Filmes que valem, Política with tags , , , on 17/05/2009 by Jorge

mio-fratello-e-figlio-unico

Mio fratello è figlio unico – Meu irmão é filho unico

Accio (Elio Germano) e Manrico (Riccardo Scamarcio) são irmãos que vivem na Itália na década de 1960.Accio,o irmão mais novo,filia-se ao partido fascista.Manrico , é um carismático incitador que se torna o membro mais ativo no partido comunista local.Os irmãos se tornam rivais, e não apenas no plano político,quando Accio percebe que está apaixonado por Francesca (Diane Fleri), a namorada do irmão. E ela, como todas as outras pessoas, está seduzida pelas  idéias revolucionarias de Manrico.

Trailer:

Link do Filme:

http://www.mediafire.com/?mjyxymyyhdw

Link da legenda:

http://www.mediafire.com/?nmwkzm2azym

OPINIÃO – pólis moderna II

Posted in Política with tags on 06/05/2009 by ilson

O tema da vez é a famosa “gripe suína”, opa, “gripe a” em respeito aos criadores de porcos que temem ver sua produtividade declinar devido ao valor pejorativo do nome da doença.Três pontos me chamam a atenção sobre ela: o alarde que dão a mesma, sem ao menos ter uma mera referência ao fato de a gripe ser cíclica no mundo, ou seja, este surto não é uma novidade; a coincidência das ações de grandes empresas farmacêuticas estarem em alta anormal em meio à crise econômica e ao fator biológico das relações entre humanos e outros animais, não estar sendo profundamente debatido, o que deveria ser primordial.

Diferente do que a maioria pensa, esta não é uma nova doença que surgiu entre os mexicanos, ela data de 1918 e sua origem foi a Rússia e também num momento turbulento na Rússia pós revolucionária.Isto prova a ciclicidade dos surtos de gripe se levarmos em conta também a gripe espanhola na década de trinta e o surto de gripe nos EUA e Europa na década de 80.Esta doença é intrínseca a nossa espécie,portanto o alarde é excesivo.

Quanto à vertente econômica, é importante vermos como o mercado reage à esse novo abalo da sociedade.Enquanto os criadores de porcos se esmeram em mudar o adjetivo prejudicial da doença da moda, as empresas farmacêuticas respiram aliviadas no olho do furacão da crise econômica que assola o mundo.O ponto a ser observado nessa questão, é a sociedade pressionar estas empresas à trabalharem para o bem comum e produzirem rapidamente o remédio ao invés de tratarem tal caso, como uma simples proporção oferta-procura, visando a uma lucratividade futura.Aliás, tema  fundamental na nossa vida este, será realmente proveitoso para o bem social a capitalização dos estudos e trabalhos científicos? Será que a teoria da ganância individual trabalhando para o bem comum de Smith se aplica nesse caso?Creio que não.Devem existir princípios que se sobreponham ao jogo do mercado, e a ciência com certeza é um deles, infelizmente a tendência não é esa, e sim, o contrário.

Por fim,analisemos a causa biológica de toda a problemática do vírus.Vem de longe o início das relações entre homem e animais, vem do neolítico, mas não nos prendamos à fatores históricos ,e sim, aos práticos.Tal relação evoluiu  tanto que hoje nada tem a ver com sua origem.Hoje, porcos, aves, vivem num sistema fabril de produção como mecanismos- fins do processo.O fato de serem seres vivos pouco importa aqui,logo, encontramos a chave do problema.Suas reações bióticas a esse padrão de vida associada a um maior contato entre as duas espécies proporcionou essa troca de vírus e outros fatores entre as mesmas,portanto, a discussão deve transcender do nível econômico e bológico para um nível filosófico também.Como nosso estilo de vida afeta eses seres ao ponto de estes estarem interagindo conosco neste novo estágio de interação?Como mudar isso? São os nossos problemas, são os problemas da pólis, então discutamo-los.

OPINIÃO – pólis moderna I

Posted in Política with tags on 26/04/2009 by ilson

É engraçado a vida em uma grande metrópole.Viaja-se quilometros por ambientes tao desconexos que alternamos sensações de acolhimento e repulsão conforme passamos por eles. Agora transforme essa análise de alguém que observa alheio por uma janela que se desloca,para aquele que a vive conforme muda de moradia.

Esse é o ponto de discussão: 0nde pôr aqueles pelo qual você passa todo dia no seu trajeto pendular? Questão incômoda que vai desde do ponto da estética até a vertente da criminalidade.Eles dão a impressão de se multiplicarem dia a dia e,inevitavelmente, interagem com todos que compõem a pólis moderna.

As reações também são instáveis,variam da clemência à barbarie.Depende do quão suscetíveis somos nós à idéia de sofrer uma tragédia. O instante pré-contato com esses indivíduos, certamente, é um dos momentos mais desagradáveis do cotidiano das grandes cidades e são fatores motivantes das diversas reações já classificadas aqui.

Agora, finalizando ,quanto à resolução do problema,inacreditavelmente, também temos medidas variáveis.Uma corrente defende a reclusão destes, outra, a famosa reincerção civil, não me cabe analisar as duas propostas ,e sim, seus resultados.Ou melhor a ausência deles.E eles são claros,péssimos.A população de rua cresce exponencialmente e também o preconceito da população com os mesmos, expresso na famosa política do choque de ordem da cidade do Rio de Janeiro, que aliás vem gerando um fenônemo único, a migração forçada deles para cidades vizinhas,sendo mais específico a cidade sorriso de Niterói.Sua feição está mudando para sua coirmã de Guanabara, o que fará nosso jovem prefeito? respostas em próximas edições.